#9.15 Magnífico Material Inútil

Dez anos é muito tempo. Ou seja, tendo isso como referência, três horas não é assim tanto. Ao já tradicional encontro anual com Pedro Arnaut, juntou-se também desta vez, para o (m)aturado balanço do que aconteceu na música em 2008, o ponto negro Silas Ferreira. Aproveitámos para especular sobre o ponto de viragem que a música portuguesa viveu há dez anos com alguém que estava no epicentro FlorCaveira, sem esquecer o obrigatório carrossel de efemérides, lançamentos, concertos, festivais, citações e, claro, muita música.

  • Os Pontos Negros — Conto De Fadas De Sintra A Lisboa
  • Lykke Li — I’m Good, I’m Gone
  • Vampire Weekend — Oxford Comma
  • Cat Power — Ramblin’ (Wo)man
  • Bon Iver — Skinny Love
  • Kings Of Leon — Sex On Fire
  • Cut Copy — Hearts On Fire
  • Portishead — Machine Gun
  • Editors — Push Your Head Towards The Air
  • Deolinda — Movimento Perpétuo Associativo
  • The Ting Tings — That’s Not My Name
  • Beck — Modern Guilt
  • Santigold — L.E.S. Artistes
  • Ladyhawke — My Delirium
  • Fleet Foxes — Tiger Mountain Peasant Song
  • Coldplay — Violet Hill
  • Tiago Guillul — Beijas Como Uma Freira
  • Foge Foge Bandido — Ninguém É Quem Queria Ser
  • Dead Combo — Like A Drug
  • Glasvegas — Geraldine
  • Kaiser Chiefs — Never Miss A Beat
  • Lady Gaga — Poker Face
  • Britney Spears — Womanizer
  • Beyoncé — If I Were A Boy
  • Crystal Castles — 1991
  • The Killers — Human
  • Buraka Som Sistema, DJ Znobia, M.I.A., Saborosa, Puto Prata — Sound Of Kuduro
  • Doismileoito — Bem Melhor